Nosso 60º aniversario




No dia 14 de agosto de 2011 iremos completar 60 anos de historia.
nesses anos mudamos, nos restauramos, lutamos, mas nunca desistimos.
mudamos e participamos na vida de muitos irmãos que mesmo estando longe sempre estarão em nossos corações porque eles participaram e tambem mudaram nossas vidas.

A todos que passaram por nossa igreja o nosso muito obrigado e que Deus abençoe.

com carinho
Igreja Metodista em Cidade Dutra

Nascimento da Yohana Camily




Olha quem chegou... Nasceu no dia 10 de Dezembro a pequena Yohana Camily Rosendal da Silva com 47,5 cm e pesando 3,315kg .
Para a alegria dos papais Glauco e Elaine, do irmaozinho Estevao.
Que o Senhor abençoe a vida de toda a família e principalmente da pequena.

Nascimento da Ana beatriz




Ana Beatriz nasceu dia 06/12/2010 com 1,820 kg em são paulo
desejamos muitas felicidades, luz, saude e bençãos para Ana, Josi e Cristiano.

Seja bem - vindo

MIGUEL



23 de Novembro
3600 kg / 50 cm

Aos pais não podemos deixar de desejar as maiores felicidades para eles, fazendo
votos e orando ao Senhor para
que lhe conceda sabedoria suficiente e meios necessários
para darem ao Miguel aquilo que é de mais precioso e importante, que é o de lhes ensinar a conhecer e amar o Senhor acima de tudo.

Parabéns aos pais e as irmãs
Beijos ao Miguel

Texto para Reflexão
(Extraido de Ensino Eficiente, Imprensa Metodista, 1980)

Comemoramos neste mês o Dia Nacional de Ação Graças
.

Em nossos programas especiais, sempre é apresentado um histórico desse dia. O costume de se agradecer a Deus, durante um dia inteiro do ano, pelos frutos colhidos na terra, pela casa que nos abriga, veio dos Estados Unidos. Iniciou-se quando algumas famílias desembarcaram ali, e tiveram que providenciar casa, roupas, alimentos, para continuarem vivendo. Sofreram fome, frio e lutaram com muitas dificuldades, sem nunca desanimar.

Depois de algum tempo, quando as colheitas chegavam, resolveram, durante um dia, agradecer as bênçãos recebidas. Nessa ocasião, todos apresentariam aquilo que o Senhor lhes tinha possibilitado ter: frutas, flores, animais, inteligência, saúde, habitação, calor.

O costume acabou se espalhando por vários países. E hoje, em muitos lugares, na última quinta-feira do mês de novembro esse dia é comemorado.

Mas na Bíblia nós encontramos uma comemoração semelhante. Esta no livro de Levítico, capítulo 23. 33-43.

Era a instituição de uma festa chamada Festa dos Tabernáculos. Tabernáculo é uma espécie de tenda, ou barraca bem grande.

Nessa ocasião, os israelitas, após as colheitas, paravam suas atividades, e durante uma semana, comemoravam a boa colheita que tinham tido, tirando o melhor da produção e dos animais para oferta de gratidão. E para lembrar a falta de moradia, e as dificuldades que tinham enfrentado antes de chegar à boa terra, os israelitas faziam barracas de ramos de árvores e de folhas de palmeiras.

Durante sete dias, moravam debaixo do sol e das estrelas. Era uma semana muito alegre para toda a família.

Gratidão quer dizer reconhecimento por um benefício recebido. Só podemos demonstrar gratidão se reconhecermos que tudo que somos, tudo que temos não nos pertence, e sim àquele que nos criou. Significa também lembrar, como faziam os israelitas há muito, muito tempo, os nossos irmão que não podem desfrutar de todos os bens oferecidos. A melhor maneira de dizer obrigado é compartilhar algo que temos com outros que necessitam de nossa ajuda. Podemos dar alguma coisa material, ou podemos dar a nós mesmos, através de uma atitude de amor.

Amar é querer o bem do outro. É dar ao outro a oportunidade de também agradecer.

Departamento Nacional de Escola Dominical lança seu site
O Departamento Nacional de Escola Dominical (DNED) da Igreja Metodista lançou o site: “Escola Dominical: feita para mim e para você”. Segundo, a Revda. Andreia Fernandes, coordenadora do departamento, essa é uma iniciativa para marcar o dia da Escola Dominical.

www.ed.metodista.org.br

Pra pensar ... Exemplo de Vida

Com certeza esse vídeo impactou muita gente. Um exemplo de vida e dedicação a Deus que emocionou milhares de pessoas ao redor do mundo.



Não deixe de ver e mostrar para outras pessoas.

**Ministerio de Comunicação - Igreja Metodista em Cidade Dutra
Confissões de Lúcifer


Depois de milhares de anos vagando pela Terra aprendi muito da natureza humana, suas fraquezas, seus desejos mais secretos e suas miséria. Tenho consciência que minha causa foi derrotada, entretanto estou trabalhando freneticamente para levar ao destino que me aguarda o maior número possível de pessoas, pois sei que pouco tempo me resta. (1)

Não é fácil a vida de um adversário do Todo Poderoso, principalmente porque Ele conta com um exército fiel de crentes espalhados pelo mundo inteiro que com suas orações produzem uma reviravolta em todo o mal que intento. Felizmente, são poucos os que oram de verdade, porque a maioria está preocupado consigo mesma, outros começam bem, me incomodam, mas logo desistem, pois não tem perseverança.

Fico admirado com o fascínio que exerço sobre alguns crentes, que falam mais de mim que de Deus. Rio muito quando eles tentam me amarrar, e dizem que naquela cidade não entro mais. Pois acaba a oração e eu continuo fazendo as mesmas coisas. O que esses cristãos não entendem é que não devem lutar contra mim, mais buscar Aquele que tem mais poder que eu. Quando eu quase destruí a vida de Jó, ele não me dirigiu uma palavra sequer, mas dizia o tempo todo que a causa dele estava diante de Deus e que o seu Redentor vive. Quando eu humilhei a Paulo colocando-lhe um espinho na carne, ele não tentou me acorrentar, mas apresentou a sua fraqueza a Deus, que lhe deu vitória. Sinceramente, com gente assim não dá para lutar.

Tenho prazer especial em atormentar esses que ficam preocupados comigo o dia inteiro ao invés de viverem a vida. Eles dizem que me vêem em todos os lugares, até onde eu nem estou... é muito engraçado. Com tais eu nem preciso me preocupar, pois sei que não são cristãos seguros de sua fé. Eles fazem parte daquele grupo que faz uma boa propaganda de mim, pois julgam que eu possuo muito mais poder do que realmente tenho e afirmam que fiz coisas das quais nada tive a ver. Na verdade eu sou um pobre diabo, condenado e derrotado, mas da forma que falam é como se eu fosse onisciente e onipotente. Será que eles não sabem que eu não posso fazer absolutamente nada sem a permissão do Todo Poderoso? Ah! Se não fosse por Ele... Mas, tudo bem, a propaganda é a alma do negócio. Sou constantemente acusado de tirar muita gente da Igreja. É mentira! Eles saem porque são levados por seus próprios desejos. Não fui eu que instiguei o filho pródigo a sair da casa do pai (2) e Demais a abandonar o apóstolo Paulo porque amou mais o mundo que a Deus (3).

Não tenho a pretensão de tirar ninguém da Igreja, pelo contrário. Quero deixá-lo lá, pois farei de tudo para serem frios, apáticos, que fiquem brigando entre si, que se dividam que eles só conversem com o grupinho deles. No que depender de mim farei com que tenham uma vida tão miserável, que quando eles forem evangelizar, ninguém vai querer ter uma vida igual a deles.

Outra estratégia que uso muito é a de fazer com que a Igreja se pareça tanto com o mundo em valores e práticas, pois assim que quando as pessoas passam a frequentá-la, elas não precisam mudar nada, e continuarão a fazer as mesmas coisas de antes. Não é genial? Gosto de soprar mentiras nos ouvidos das pessoas – afinal quero fazer jus ao meu nome de “pai da mentira”. É, eu digo-lhes que eu sou como gafanhotos e eles acreditam, digo-lhes que são uns derrotados e eles nem se levantam da cama, digo-lhes que Deus não os perdoou por tal e tal pecado e eles ficam cheios de culpas.

Confesso também que sinto um enorme prazer em oprimir aqueles que se recusam a perdoar o seu irmão, pois recebi carta branca do Todo Poderoso para atormentá-los com toda sorte de espíritos malignos, dos quais eu sou o principal. E não ponham a culpa em mim, pois só posso fazer isso se o crente se recusar a liberar perdão, pois quando ele perdoa é horrível a sensação de paz daquele coração, e eu saio correndo dali.

Acho muito engraçado quando usam sal grosso e oração forte contra mim, nem ligo. Agora, o que eu temo mesmo é uma vida santificada. Contra um crente santificado, fiel e que tem a Palavra guardada no coração, desses eu também fujo (5).

Como minha hora se aproxima eu estou trabalhando num projeto grandioso para este século. É uma estratégia tão ardilosa que são poucos os que percebem. Hoje, todo mundo quer Deus e eu estou dando “Deus” de todos os tipos e para todos os gostos. Eu estou enchendo o mundo de “Deus” para que eles fiquem tão confundidos que não saibam quem é o Deus verdadeiro. Cada um pode ter o seu “Deus” do jeito que quiser. Agora ninguém mais precisa ficar submisso ao Deus de Abraão, Isaque e Jacó. Vocês não imaginam como o povo gosta dessas novidades.

Tenho "queimado a pestana" inventando sacrifícios, novos rituais, e tenho levantado líderes que falem de Jesus, mas sem nenhum compromisso com o reino Dele. Adoro soprar ventos de doutrinas porque os meninos na fé acreditam em tudo.

O meu objetivo com isso? Confundi-los e fazerem imaginar que estão servindo a Deus. Agora, eu não aceito levar a culpa de tudo sozinho não - eu só dou aquilo que eles querem. Eles gostam de brilho, eles querem glória para si, eles admiram aqueles que fazem sucesso, eles crêem em toda forma de misticismo... Eu nunca imaginei que este povo gostasse tanto de ídolos, ídolos que cantam, ídolos que pregam, ídolos que profetizam, é uma loucura como idolatram a tudo.

Muitos falam que eu sou feio, e até pintam quadros horríveis, dizendo que eu tenho chifres, pêlos e cara de bode. Desde a minha criação sou muito vaidoso e jamais aceitaria ser desta forma. Se vocês ouvissem aquele tal de Apóstolo Paulo saberiam como sou de verdade: sempre fui um anjo de luz, fala mansa, voz agradável, boa aparência e muito convincente (6). Felizmente são poucos os que me reconhecem e assim vou enganando a muitos. Para terminar, eu quero dizer a todos que eu não sou ateu. Eu creio e tremo diante de Deus (7). Mas eu não consigo, não consigo me submeter. Submissão significa obediência, e eu não quero ser servo. Aliás, tem muita gente indo comigo que também crê em Deus, pratica os seus atos religiosos, freqüenta uma Igreja, mas são desobedientes, como eu.

Referências: 1) AP 12:12; 2) LC 15:12 3) II TM 4:10 4) MT 18:34,35 5) TG 4:7 6) IICO 11:14 7) TG 2:19.

18º Encontro Nacional de Pessoas que trabalham com Crianças e Adolescentes


O tema do encontro deste ano é "Sinais do Amor de Deus"
24 a 26 de setembro de 2010

E isto vos será por sinal: Achareis o menino envolto em panos, e deitado numa manjedoura.”Lucas 2.12

O Departamento Nacional de Trabalho com Crianças, juntamente com o Programa de Ações Eclesiásticas e Missionárias da Faculdade de Teologia da Igreja Metodista, estará realizando um encontro para educadores e educadoras e pessoas envolvidas no trabalho com crianças e adolescentes.
O objetivo é capacitar pessoas que trabalham com essas faixas etárias a partir de uma reflexão sobre temas atuais que dêem subsídios e qualifiquem os projetos realizados nas igrejas e em projetos sociais. O encontro será um espaço de reflexão sobre o papel, a participação e a valorização da criança na igreja local e projetos sociais.
A programação inclui um Seminário sobre a Teologia da Criança onde se discutirá como oferecer uma educação cristã de qualidade que fortaleça a fé das crianças e adolescentes, além de oficinas que inovem e estimulem o trabalho com as crianças e adolescentes a partir da proposta do encontro.

Inscrições até o dia 17 de setembro

Mais informações:
http://www.metodista.org.br/conteudo.xhtml?c=10096

Tel:(11) 4366-5978 (11) 4366-5978 Fax: 4366-5962

As Sete Verdades Do Bambu


vou postar um texto que meu avô leu e gostou.

espero que gostem...


Depois de uma grande tempestade, o menino que estava passando férias na casa do seu avô, o chamou para a varanda e falou:
Vovô, corre aqui !
Me explica como esta figueira, arvore frondosa e imensa, que precisava de quatro homens para abraçar seu tronco se quebrou, caiu com vento e com chuva, e…
…este bambu tão fraco continua de pé ?
Filho, o bambu permanece em pé porque teve a humildade de se curvar na hora da tempestade. A figueira quis enfrentar o vento. O bambu nos ensina sete coisas. Se você tiver a grandeza e a humildade dele, vai experimentar o triunfo da paz em seu coração.
A primeira verdade que o bambu nos ensina, e a mais importante, é a humildade diante dos problemas, das dificuldades. Eu não me curvo diante do problema e da dificuldade, mas diante daquele, o único, o princípio da paz, aquele que me chama, que é o Senhor.
Segunda verdade: o bambu cria raízes profundas. É muito difícil arrancar um bambu, pois o que ele tem para cima ele tem para baixo também. Você precisa aprofundar a cada dia suas raízes em Deus na oração.
Terceira verdade: Você já viu um pé de bambu sòzinho? Apenas quando é novo, mas antes de crescer ele permite que nasça outros a seu lado (como no cooperativismo). Sabe que vai precisar deles. Eles estão sempre grudados uns nos outros, tanto que de longe parecem com uma árvore. Às vezes tentamos arrancar um bambu lá de dentro, cortamos e não conseguimos. Os animais mais frágeis vivem em bandos, para que desse modo se livrem dos predadores.
A quarta verdade que o bambu nos ensina é não criar galhos. Como tem a meta no alto e vive em moita, comunidade, o bambu não se permite criar galhos. Nós perdemos muito tempo na vida tentando proteger nossos galhos, coisas insignificantes que damos um valor inestimável. Para ganhar, é preciso perder tudo aquilo que nos impede de subirmos suavemente.
A quinta verdade é que o bambu é cheio de “nós” ( e não de eu’s ). Como ele é ôco, sabe que se crescesse sem nós seria muito fraco. Os nós são os problemas e as dificuldades que superamos. Os nós são as pessoas que nos ajudam, aqueles que estão próximos e acabam sendo força nos momentos difíceis. Não devemos pedir a Deus que nos afaste dos problemas e dos sofrimentos. Eles são nossos melhores professores, se soubermos aprender com eles.
A sexta verdade é que o bambu é ôco, vazio de si mesmo. Enquanto não nos esvaziarmos de tudo aquilo que nos preenche, que rouba nosso tempo, que tira nossa paz, não seremos felizes. Ser ôco significa estar pronto para ser cheio do Espírito Santo.Por fim, a sétima lição que o bambu nos dá é exatamente o título do livro: ele só cresce para o alto. Ele busca as coisas do Alto. Essa é a sua meta